A Europa, esse sítio magnífico // PS B vs PSD B

As Europeias são uma coisa fantástica. Quase invariavelmente, o processo de selecção para as listas de eurodeputados é baseado em duas premissas: 1. Despachar gente incómoda para os líderes dos partidos; 2. Uma operação de cosmética para políticos de segunda linha. 

Há, claro, várias honrosas de excepção: de Marisa Matias, João Ferreira, Rui Tavares, Patrão Neves e até Diogo Feio (2 dos 3, curiosamente, de saída – o último não faz parte da lista; o primeiro corre o risco bem real de não ser eleito pelo Livre), ou até Carlos Coelho (o T-Rex dos eurodeputados portugueses, eleito desde 1999), há eurodeputados competentes. Mas a maioria dos eleitos pelos partidos portugueses para a Europa são gente que, ou não interessa cá ter por agora, ou não interessam a ninguém. 

Senão vejamos: os cabeças-de-lista dos dois principais partidos foram os candidatos derrotados nas últimas eleições para a liderança de cada partido. Se ao menos Paulo Rangel pode hoje afirmar que perdeu para o primeiro-ministro, Assis assume uma dupla derrota: não só perdeu uma eleição para a liderança do PS, como perdeu para António José Seguro. Francisco Assis perdeu para António José Seguro. O PS não pode esperar muito para estas eleições. 

Agora o conteúdo das listas: do PS ainda não se sabe – mas esperamos todos ex-ministros, ex-secretários de estado e gente do ‘núcleo duro’ socrático. Espero ardentemente o regresso de José Lello, Vitalino Canas e outras celebridades da equipa B.

Nas listas de PSD e CDS, Diogo Feio, talvez o melhor MEP que a direita portuguesa teve no último mandato (juntamente com Patrão Neves e o próprio Paulo Rangel, diga-se) sai. Nos Açores, Maria do Céu Patrão Neves também. Entram uns nomes de secretaria que nunca ninguém ouviu falar e, para número 2, o grande intelectual europeu Fernando Ruas. Finalmente Ruas vai poder por em prática tudo aquilo que pensa sobre a Europa – ou vamos nós descobrir que sobre ela pensa nada para além de fundos regionais.

O Livre foi aprovado ontem e é nele que deposito as minhas ténues esperanças, apesar de já ter perdido boa parte do ímpeto. O BE tem Marisa Matias como cabeça-de-lista e espero que seja eleita – o mesmo em relação a João Ferreira, do PCP. Mas de resto, ainda há pouco a escrever. Fico para ver como os plantéis secundários dos partidos jogam este ‘clássico’.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s